07/10/2020

“Diferença entre {desculpa} e [lamento]” | por Doula Catarina Gaspar

"Diferença entre {desculpa} e [lamento]" | por Doula Catarina Gaspar - Yes Mom You Can

Ando para escrever sobre isto há algum tempo. Ultimamente, tenho falado sobre isto com várias pessoas e por isso, torna-se óbvio, que está na altura de escrever sobre a diferença entre “desculpa” e “lamento”.

Alguma vez pensaste nisto sequer? À partida a diferença pode ser tão subtil que nem se nota, mas na verdade, há diferenças e pesam a longo prazo.

Em Kundalini Yoga falamos da Culpa Vs Responsabilidade. A culpa é uma emoção. Uma emoção densa, pesada, desconfortável e limitante. A responsabilidade é a capacidade de dar resposta. São coisas completamente diferentes. Normalmente, quando algo não corre bem, como esperado e a responsabilidade é nossa, assumimos facilmente a culpa.

“Cheguei atrasada e podia ter chegado mais cedo – DESCULPA.”

“Pisei-te e não queria – DESCULPA”

“Fiquei de te responder e esqueci-me – DESCULPA”

“Estou a tomar o teu tempo – DESCULPA”

“DESCULPA, deixa-me só atender esta chamada”

etc, etc, etc

A culpa serve para olharmos para trás, para o que aconteceu, fazermos uma análise de consciência – “Fiz bem assim? Podia ter feito diferente? O que posso tirar desta experiência? Como posso melhorar para a próxima?” Tirarmos as nossas próprias conclusões e seguir em frente. Não é suposto ficar preso ao que aconteceu. Ficar a remoer que podia ter feito diferente. Que podia ter acontecido x em vez de y. Aconteceu. Ponto.

Acreditando que nada acontece por acaso e que tudo está certo num plano maior do que o nosso entendimento, então não precisaríamos de pedir desculpa por nada. Podemos pedir, claro, mas quando o pedirmos que seja assumindo que temos a responsabilidade do que aconteceu.

Se eu chego atrasada a um compromisso porque apanhei trânsito na estrada, a responsabilidade é minha? Se saí com mais do que tempo para imprevistos e ainda assim cheguei atrasada, preciso de assumir a culpa disso? Eu também não tive culpa. Fui apanhada no trânsito. Então, eu lamento ter chegado atrasada. Também preferia não ter chegado tarde. Ou se estou a falar com alguém e o telefone toca, preciso de pedir desculpa por o telefone tocar? Quanto muito peço, por educação, licença à pessoa para atender. Mas desculpa?

Parecem só palavras e formas diferentes de comunicar, mas a verdade é que as palavras têm imenso poder. Tudo o que dizemos conta. E como o Shiv Charan diz “Se o que vais dizer não é verdade, não é útil e não eleva o outro, está calado.” Quando eu peço desculpa eu estou a dizer-me “Tu tens culpa disto”. E isto é verdade? E isto é útil? E isto eleva-me? Não. Bem pelo contrário.

Há diferenças sim entre o “Desculpa” e o “Lamento”.

Começa hoje a ouvir-te com atenção e descobre em que situações dizes “desculpa”, com que frequência o dizes e se é realmente verdade que és culpada disso 🙂

Por Doula Catarina Gaspar em UAUMAMÃ BLOG

(obrigada querida Mentora!)

Share on facebook
Partilha no Facebook
Share on twitter
Partilha no Twitter
Share on linkedin
Partilha no LinkedIn

One Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *